<body bgcolor="#000000" leftmargin="0" topmargin="0" rightmargin="0" bottommargin="0" marginwidth="0"><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5805460\x26blogName\x3dLife+would+be+so+wonderful+if+we+only...\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://womanofaffairs.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3den_US\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://womanofaffairs.blogspot.com/\x26vt\x3d2451192399324840577', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Herr och fru Stckholm
En Lyckoriddare
Konsum Stockholm Promo
Luffarpetter
Gösta Berlings saga
Die Freudlose Gasse
Torrent
The Temptress
Flesh and the Devil
Love
The Divine Woman
The Misteryous Lady
A Woman of Affairs
Wild Orchids
The Single Standard
The Kiss
Anna Christie
Romance
Inspiration
Love Bussiness
Susan Lennox
Mata Hari
Grand Hotel
As you desire Me
Queen Cristina
The Painted Veil
Anna Karenina
Camille
Conquest
Ninotchka

Image hosting by Photobucket

09/01/2003 - 10/01/2003
06/01/2004 - 07/01/2004
07/01/2004 - 08/01/2004
08/01/2004 - 09/01/2004
09/01/2004 - 10/01/2004
10/01/2004 - 11/01/2004
11/01/2004 - 12/01/2004
12/01/2004 - 01/01/2005
01/01/2005 - 02/01/2005
02/01/2005 - 03/01/2005
03/01/2005 - 04/01/2005
04/01/2005 - 05/01/2005
05/01/2005 - 06/01/2005
06/01/2005 - 07/01/2005
07/01/2005 - 08/01/2005
08/01/2005 - 09/01/2005
09/01/2005 - 10/01/2005
10/01/2005 - 11/01/2005
11/01/2005 - 12/01/2005
12/01/2005 - 01/01/2006
01/01/2006 - 02/01/2006
02/01/2006 - 03/01/2006
03/01/2006 - 04/01/2006
04/01/2006 - 05/01/2006
05/01/2006 - 06/01/2006
06/01/2006 - 07/01/2006
07/01/2006 - 08/01/2006
08/01/2006 - 09/01/2006
09/01/2006 - 10/01/2006
10/01/2006 - 11/01/2006
11/01/2006 - 12/01/2006
12/01/2006 - 01/01/2007
01/01/2007 - 02/01/2007
02/01/2007 - 03/01/2007
03/01/2007 - 04/01/2007
04/01/2007 - 05/01/2007
05/01/2007 - 06/01/2007
06/01/2007 - 07/01/2007
07/01/2007 - 08/01/2007
08/01/2007 - 09/01/2007
09/01/2007 - 10/01/2007
10/01/2007 - 11/01/2007
11/01/2007 - 12/01/2007
12/01/2007 - 01/01/2008
01/01/2008 - 02/01/2008
02/01/2008 - 03/01/2008
03/01/2008 - 04/01/2008
04/01/2008 - 05/01/2008
05/01/2008 - 06/01/2008
06/01/2008 - 07/01/2008
07/01/2008 - 08/01/2008
08/01/2008 - 09/01/2008
09/01/2008 - 10/01/2008
10/01/2008 - 11/01/2008
11/01/2008 - 12/01/2008
12/01/2008 - 01/01/2009
02/01/2009 - 03/01/2009
03/01/2009 - 04/01/2009
07/01/2009 - 08/01/2009
08/01/2009 - 09/01/2009








website stats

Tuesday, October 31, 2006

 
Olha, eu gosto mesmo é de banda de menino. Não dá. Óquei, eu ouço indieces-mimimi, mas porra, poucas coisas são tão catárticas quanto uma roda num show. E ficar porrando desconhecidos porque é legal.

Eu consegui entrar no show dos Beastie Boys só pra chegar a essa conclusão que eu já tinha. Meu negóço mermo é música de menino. Dessas que a macharada vai pro show pular e se empurrar. E o bom velho róóóquenrroul.

Tá, eu curto umas outras coisas, mas pra gastar ódeo nada como essas paradas com guitarrões, gritaria, bateria porrada e muita, muita, muita testosterona, bróder.

Porque onda MESMO é estar de mini saia no meio de vários caras suados e batendo de igual pra igua quando a roda abre do teu lado.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 11:00 AM



Friday, October 27, 2006

 
Aqui no silviço tem uam pá de pessoas muito religiosas. E eu não suporto pessoas muito religiosas ponto. É tudo meio bitolado e BASTANTE péla-saco. Claro, sempre tem exceção, mas é meio aquele lance do serás gata ou gostarás de róque, bóbeveo que de quando em quando Deus olha uma puta gostosa feito a Shirley Manson e diz: ae, você tá liberada pra gostár de róquenroul, gata. Ele deve fazer isso com um ou outro religioso, eu só não conheço esses. E, veja bem, meu pai é um cidadão religioso e, mesmo sendo uma pessoa maneirissima a maior parte do tempo, o genitor tem seus ataques de pélice e tudo que eu quero fazer é apertar o pescocinho dele Homer Simpson style. Foco, fia, FOCO. Então que a turma religiosa tem uns nicka MEGA PÉLAS (atentem para o caps, é muita pélice). E eu tenho o prazer masoquista de todo dia ficar lendo os nicks e fazendo uma competição imaginária entre eles. E todo dia alguém se supera, é meio inacredítavel.

Às vezes, eu acho que Deus também diz: ae, ou você vai ser humano ou vai ter noção. Porque a regra é ter zero bom senso, nenhuma idéia de porra nenhuma e ausência total e completa de noção. Mas como o Diabo é underground (aliás, o cara mais udigrudi que eu conheço e DiAbo, que no inferno toca cover das canções angelicais. E deixa esse bolo de ameixa e vem mexer comigo), ele escolhe uma meia dúzia e diz: vocês aí, vocês vão ter noção e vão se foder gostoso, porque humanos são idiotas sociais (valeu, gente) e, puta que pariu, eles são bons nisso. MUITO BONS. E a galera minimamente bem intencionada passa a vida purgando pecados de outra.

Ae, universo, na próxima vida eu tou de altos. Quero ficar bebendo no pós vida, rola?
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 10:53 AM



Thursday, October 26, 2006

 
Eu sou terrível com nomes e isso é um fato. Mais que um fato, uma herança genética, nem meus pais nem meus avós acertam meu nome de primeira, é sempre o nome de algum dos meus irmãos ou de outro parente qualquer. Uma coisa.

Então que um dia, tava eu bela e faceira na buátchi e rolou um shark attack. Oi, tudo bom, qual o seu nome? . Aí cervejinha vem, cervejinha vem, beijinho, beijinho, amasso e viro eu pro moço: e qual o seu nome mesmo? E ele responde. Mais beijinho, mais cervejinha, mais amassinho e eu olho pra ele e pergunto o nome. OUTRA VEZ. A cena se repetiu, sem brincadeira, umas 5 vezes. Até que eu parei, olhei pra ele com uma tremenda cara de ponto de interrrogação e ele manda: É FULANO, GRETA, FULANO. E eu ruborizo, né. Porque era bem o que eu perguntar mesmo.

Preciso muito de fosfosol, gente. MUITO.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 12:16 PM



Wednesday, October 25, 2006

 
Contando, ninguém acredita...
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 1:10 PM



Tuesday, October 24, 2006

 
Se eu entendi bem isso aqui, a idéia tem tudo pra ser uma grande furada.

Vamos começar com a prerrogativa inicial: quem tem direito a voto não é a galera que vai estar se ralando pra fazer o código funcionar, certo? E aí começa errado. O cara com poder de voto é o amigão que vai passar o olho quando o lance estiver pronto e decidir se rola? Hmmm, estranho, muito estranho. Mmmkay, na teoria, ele entende do riscado, mas exatamente em que ele participou da geração? Acho abusivo.

Gente de áreas não relacionadas? na boa, troca de favores que me parece deveras escrota logo de início. Porque é um cidadão que está "colaborando" e certamente vai querer receber o seu no fim do mês. Não bom. Especialmente com adEvogados juntos.

Não é que eu deseje o fracasso. Muitíssimo pelo comtrário, eu sou bastante pró open source, até porque, na maioria dos casos, ele está anos-luz à frente do código fechado e tem mais gente olhando o que o torna mais seguro (de novo, tudo muito teórico). Mas essa receita de bolo de cooperativa está com cara de exploração de trablaho esc... universitário. Como muita universidade mundo afora faz: o seu projeto final é meu, se for maneiro eu tenho todo o direito de comercializar e ganhar rios de dinheiro e você que tenha outr idéia fora do campus, amiguinho, perdeu, playboy. O que, per se, é comodamente cruel.

Você tá ganhando seu dinheiro, tem o seu "emprego" e ainda tem o total controle sobre a produção de cooperados empolgados. É muito "eu quero mais é que o mundo acabe em barranco pra eu morrer enconstado". Bom pra quem tem a idéia ruim, muito ruim, pra quem topa ser a mula.

Espero estar errada. De qualquer jeito, depois lerei com calma. Se o post sumir, foi isso.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 6:04 PM




 
Eu agora sou uma autista social. Explico: ganhei um mepetrês pleie de 1gb. Não é uma quantidade obscena, mas cabe musica pacaraleo e eu não preciso mais interagir com esse povo que se acha super extrovertido e puxa papo até em fila de banheiro. Não, né? Sei lá, acho que se eu fosse fazer a linha Wando em matéria de obscenidade e me jogasse num de uns 20/30 gb, a quantidade de lixo musical que eu baixo iria triplicar e a minha idéia de comprar um hd de 80gb pra dados e deixar o 40 pra abobrinhas se transformaria num de 100 pra porcarias, já que o de 40 dá pra suprir as necessidades na boa. Mas não é esse o ponto.

O lance é que eu vou danar a baixar coisas, largar no bichinho pra ver se eu gosto e depois deletar. A taxa de transferencia vai se elevar a níveis estratosféricos e meu computah vai viver com bilhetinhos ENCOSTE EM MIM E MORRA! (porque eu sou uma moça fina e deixo esse tipo e delicadezas (porra!)* pra minha família). E aí, o livro do Heleno de Freitas que eu ia me dar de Natal vai ser postergado pro aniversário. Afinal, eu já fui avisada que parte do meu presente já foi comprado e eu nem rola de pedir. De repente surge um amigo oputo, mas eu nem conto com isso.

Ou seja, em nome do autismo social (doença que faz você enfiar os fones no ouvido e colocar no volume máximo e viver com trilha sonora. Mentira, você só é um puta anti-social que não quer falar com qualquer idiota que sentou ao teu lado no ônibus), eu vou torrar dinheiros com um HD novo pra poder ser mais indie do que eu já sou.

Em duas palavras: fudeu, Robin.


Update rapidinho: Tá complicado ficar fazendo cara de blazê enquanto o Johnny Cash canta. E eu nem vou mencionar o quão complicado é ficar parada enquanto o bom e velho róquenroul berra nos meus delicados ouvidinhos. Quer dizer, além de autista eu ainda sou sem noção. urrú


*Delicadeza, PORRA! é o grito de incentivo à defesa do time de futebol americano de praia onde eu jogo. Sim, eu peso 50kg e jogo FUTEBOL AMERICANO DE PRAIA. Delicadeza, porra.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 9:44 AM



Monday, October 23, 2006

 
Tesão intelectual.

Eu, como boa nerde e socialmente desajustada, gosto mais de conteúdo do que embalagem. Mas limites e dignidade, pelo amor de Javé. É aquilo, se o moço for socialmente aceitável e gente finíssima e inteligente e interessante, já basta pra eu estar babando.

E o foda de ser assim nesse mundo-muderno-internético é que você paga pau pra nego que escreve bem. E foda-se que o cara é meia feio que acidente de trem. Ele é interessante. e isso basta. Especialmente porque todo mundo sabe que não tem gente interessante no Rio, então não tem perigo de ganhar stalker. Rola de ficar babando sem o menor problema, o máximo que pode acontecer é uma cervejinha amiga - isso se você chegar a falar com a pessoa interessante, evidentemente. Mas eu tou tergiversando pacaraleo.

O lance é o seguinte: eu pago pau pruma puta galera. Mas tem uns mininu que, puta merda, quanto mais eu leio mais eu quero dar pra eles. É como se isso fosse uma necessidade vital, tipo respirar. No fundo, isso deve ser só admiração, inveja e afins, mas as coisas tipo se traduzem numa vontade absurda de pegar no colo, deitar no solo e fazer todinho. Associações bizzarras da minha mente, xapralá.

Enfim, eu tava só explicando que eu sou uma pessoa doente. Respeitem a minha condição. E tem link novo aí do lado.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 10:48 AM



Sunday, October 22, 2006

 
Hei de torcer, torcer, torcer.*


É assim, ó, o cara e o pai são apaixonados por futebol. E o cara engravida a namoradinha la pelos 19. Depois do susto, começa a torcida por um menino porque existe a necessidade de perpetuação do amor ao futebol e, mais importante, ao time. O gigante rubro-negro da Gávea (alou, isso era 1980, dá um desconto). Só que nasceu uma menina. Lindinha, olhos grandes, bochechas rosadas e cabelinho cacheado. E os dois decidiram que ela ia gostar de futebol, mesmo tendo sido uma puta traição ter nascido menina.

Não dá pra imaginar aquela coisinha linda e delicadinha, de brinco, pulseira e maria-chiquinha num maracanã lotado. No meio daqueles machos suados e desbocados. Um deles podia tentar se aproveitar dela. E ela podia gostar. E é bem por isso que os pais não estimulam nas meninas o interesse pelo esporte bretão.

O ano é 1982 e é de copa do mundo. Família reunida a menininha no colo do pai e gol do Brasil. O pai pula, esquecendo da pequinina ali no colo dele (o cara tava nessa há 2 anos só, vai). Acho que foi exatamente ali que eu decidi gostar de futebol. Foi naquele momento, no alto dos meus dois anos e meio que eu entendi o que futebol representa pra minha família e pra minha brasilidade nagô. É uma coisa cultural, tipo escocês beber e estados unidos atacar alguém de bobeira. Comecei nesse lance de ser flamenguista meio por imposição e hoje em dia não me imagino sendo mais nada.

Na verdade, eu aprendi a tocer com meus avôs. Eles que me colocavam pra ouvir jogo no radinho, que me contavam como era ir a estádio, até eu ter idade pra ir. Hoje, eu vou até pra jogo onde não tenho pra quem torcer. Pelo prazer de fazer parte da festa e apreciar uma partida bonita. Ou pela galhofa do ato.

Porque futebol em estádio é muito mais divertido do que na TV. Diferente da Formula 1, o futebol é interação é aquele lance de confraternizar com desconhecidos (não quando eles te manjam e te agarram de maneira acintosa). Mas é uma coisa povão de extravasar uma pá de coisa. Ir a estádio e gritar e xingar juiz, adversário e o FILHODAPUTA DO LATERAL QUE TÁ SEMPRE ADIANTADO AQUELE CORNO. É terapeutico. Todos deveriam ir uma vez ao mês.


*Sim, é a primeira estrofe do hino do América-RJ. Meu avô materno era torcedor apaixonado e com ele eu aprendi a ter um puta carinho pelo Mequinha. E esse post é sobre ser torcedor.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 12:54 PM



Friday, October 20, 2006

 
Então que a onda agora é anos 90, né? E eu só consigo pensar que, puta merda, eu ouvi Double You e Information OUTRO DIA. Não rola de trazer algo mais antigo, ou, sei-lá-deus-me-livre, CRIAR COISA NOVA? Não? FMZ.

*****

Acho que vou ouvir jazz e blues, porque, vejam bem, eu tenho 82 anos. Algumas vezes.

*****

E tem o TIM, né? Semana que vem, né? Mó galera vindo pro Rio, né? e eu só penso no Reveillon. Quero esse ano acabando, tipo, logo.

*****

Eu acho bem poético esse lance de ali em cima dizer que tenho 25 pra sempre. É uma coisa meio eternamente jovem, mas sem o romantismo. E sem o Mel Gibson. e sem par romântico. E eu vou parar por aqui.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 2:02 PM



Wednesday, October 18, 2006

 
ta lembrando o caso de um mecanico de carros, em Nova Iguaçu, para um amigo do Avelino "Fulano, como se diz? Eu vou ou eu fui?" ao que o outro respondeu tacando uma chave inglesa

Como é bom ter um trabalho entediante, né não? Não fosse isso, eu não leria essas coisas e ficaraia rindo feito uma idiota no escritório.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 3:13 PM



Tuesday, October 17, 2006

 
A Lia tá falando de animações e afins. Eu concordo e completo: chega de animais fofinhos lutando pró-ambiente. Ou pra se encontrar enquanto bichinhos nesse fosos nesse mundão muderno e sem tempo para pequenas sutilezas, ou algo assim. Na boa, eu quero coisas incorretinhas. Porque é legal voc~e ver um puta ogrão insinuando que odeia gente. Ou peixe-pai super protetor aloprando os sete mares. E tubarões dizendo: peixes são amigos e não comida. Adoro animações, mas chega de bichinho, por favor, galera. A menos que seja um ornitorrinco.

*****

Kevin Smith voltou com tudo em Clerks 2. Se eu fosse você já teria visto.

*****

E agora tem o taradão do lambe-pé. Como se esse mundo não fosse doente o suficiente, ainda tem um maluco pra invadir casas de madrugada e lamber o pé da mulerada-de-shortinho-da-baixada. Esse mundo tá perdido mesmo, Tia Nastácia.

*****

Alguém poderia me explicar qual tipo de magia rola com os indianos? Tem uma porrada querendo ser miguxo meu no orcú. Eu tenho medo. Não só porque eles cheiram a curry e páprica, mas também porque eles não comem carne. E aquilo que eles chamam inglês, meu deus do céu? O que é aquilo?

*****

Dor de cabeça insana há alguns dias. Falta dos óculos ou quase certo eu vou parir outra deusa da sabedoria. Vou catar um ferreiro pra abrir o crânio e depois chocar na coxa. Mas o meu cabelo (só pra continuar no assunto coisas acontecendo na minha cabeça) tá com aquela cor enferrujadinha que eu adoro. Teehee.

*****

Tou brincado de casinha essa semana. Foda é a louça. E aquele ventilador de pé. Maldito teto rebaixado.

E não tem computador lá. Mas, pelo menos, eu fico lendo, ne´. Tentando fazer a fina e culta.

*****

Só pra encerrar o post, outro gaúcho daqueles. Ah, se eu pudesse e o meu dinheiro desse. E eu fosse gata.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 3:07 PM



Monday, October 16, 2006

 
Alguém pára essa gente, por favor?


Eu tenho uma grande pânica de inteligência artificial. Assim, MUITA mesmo. Só o que me faltava era um babaca vir com andróide. Ah, mermão, não fode.

Porque já tá complicado achar alguém com quem dividir a vida sem essa concorrência desleal. Imagina só viver em um mondo onde os caras poderão escolher uma mulé. Já até vejo os manos dizendo: quero uma amélia goschtósa e pervertida. Dessas submissas e cheias de fogo no rabo mecânico e doida pra trepá até no lustre se eu quiser asssim.

Óquei, eu vou arrumar um gato, pra já me acostumar a conversar com quem não me responda.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 10:51 AM




 
pô, Greta, vc é a mulher que todo homem sonhou

Eu cansei. Eu não quero ser a dos sonhos, eu quero ser a que dorme e acorda junto, porra. A que anda de mão dada e faz careta por razão nenhuma.

Eu quero ser a que vai ser assumida, não a sonhada. E, porra, não é pedir muito.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 1:09 AM



Friday, October 13, 2006

 
Funciona assim ó: é sexta pós feriado e você tem que trabalhar. E tem uma pós ressaquinha envolvida nisso. E tem toda a preguiça do cerumano. E não tem muito a ser feit, já que a maioria das pessoas com as quais você tem que falar NÃO está trabalhando.

E, putaquepariu, você está muito entediado e fazendo tudo nas coxas, porque, dude, é foda. Foda pacaraleo acordar cedo, pegar condução e estar na firrrrrma pra não resolver lá muita coisa. E tem o lance de o corpo implorar por cama e a mente por uam cerveja gelada e porção de provolone à milanesa.

E é chato pacaraleo ficar desviando de pianos e bigornas que tão afim de te acertar. E, bem, alguém ae troca de vida comigo?
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 10:17 AM



Wednesday, October 11, 2006

 
Sabe quando tá tudo legal? E você nem tá mais tão blé, lidando com aquela situação até bem, você quase nem pensa, tá bem feliz voltando ao platonismo todo da questã? Aí vem um piano e cai na tua cabeça?

Pois é.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 2:09 PM




 
Alguém viu a capa da Veja essa semana? Bom, eu vi num outdoor enquanto ia pra fisioterapia.

Eu acho que o Walckmin fez plástica no nariz. Na revista nem deve dá pra perceber isso, mas daquele tamanhão é bem perceptível como o septo dele é retinho demais. E o nariz é super afilado. Se ele fez a plástica, ganhou alguns pontos, mas eu ainda não entendo o cabelo dele.

Gente, ele tem dinheiro. Sempre deve ter tido. Ele poderia ter tomado finasterida (já tem viagra, Dona Lu). Poderia ter feito um implante do bom. Ele poderia ter feito a linha Espiridião Amin e tirado tudo (eu acho digno). Ele podia ter feito muita coisa, mas o inaceitável é pentear os fios de um lado pro outro, tentando tapar o sol com a peneira. Se um cara faz isso com ele mesmo, imagina o que vai fazer comigo?

Agora alguém me explica porque o Rodrigo Santoro ou o Bruno Garcia não se candidatam? Neles eu votaria, assim, sem o menor problema.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 11:26 AM



Tuesday, October 10, 2006

 
Como vocês bem sabem, eu sou uma patricinha política. Eu voto por uma questão de aparência, afinal, já que a maioria não vai fazer porra nenhuma, pelo menos eu tou bem representada, esteticamente. Então se você quer um post sério sobre o debate de domingo, é hora de dizer tchau, Tinky-Winky.

Eu não consegui prestar atenção em palavra do Walkmin disse. Aquela gravata me distraiu absurdamente, que nem a ausência de dedo do Lula. Ele aparecia na tela e eu esquecia do mundo, conjecturando quem poderia ter sido o filho da puta a escolher aquilo. Intriga da oposição, eu diria.

E teve entrevistas no fim do lance, né. E aí eles entrevistam o Serra e a Marta Suplicy. Cara, é sério mesmo isso? O Serra parecia estar sem nenhuma maquiagem, com vários sinais de velho no rosto - que nem aqueles que gente mega idosa tem na mão - e com aquele peculiar jeito de coveiro de filme B. E a Martha tava toda escovada, maquiada, bem vestida, até o refletor fazia os olhinhos dela brilharem.

Para uma pessoa vã feito eu, não tem mais competição nenhuma. Eu voto na Martha.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 10:25 AM




 
The Night. Ou superando todos os limites do brega.

You're the night, Lilah. A little girl lost in the woods.
You're a folk tale, the unexplainable


É uma imagem bonita: uma menina perdida numa floresta, tão simples e inexplicável quanto uma lenda de folclore.

You're a bedtime story. The one that keeps the curtains closed.
I hope you're waiting for me cause I can make it on my own.
I can make it on my own.


And I hope so, babe. E eu posso esperar. Eu tenho todo o tempo do mundo pra esperar você chegar e me dizer que não dá tá dando conto sozinho. Que mais do que precisar, você quer minha presença, babe. Eu tenho tempo.

It's too dark to see the landmarks. I don't want your good luckcharms.
I hope you're waiting for me across your carpet of stars.
You're the night, Lilah. You're everything that we can't see.
Lilah, you're the possibility.


Talvez, você seja o meu amuleto da sorte. Então segue o tapete de estrelas (ai, breguice) e me acha. Porque aí, Lilah será mais do que possibilidades, sabe?

You're the bedtime story. The one that keeps the curtainsclosed.
And I hope you're waiting for me cause I can make it on my own.
I can make it on my own.


*pausa pra choro besta*

Unknown the unlit world of old. You're the sounds I never heard before.
Off the map where the wild things grow. Another world outside my door.
Here I stand I'm all alone. Drive me down the pitch black road.
Lilah you're my only home and I can't make it on my own.


E é isso. É seguir no escuro sozinho por uma estrada maluca, até se saber em casa. E pedir ajuda se der merda.

You're a bedtime story. The one that keeps the curtains closed.
And I hope you're waiting for me cause I can make it on my own.
I can make it on my own.

You're the paint can falling off the wall at the door that slam sat the end of the hall where the kid rings sounds of basketball.The battle of the earth of the angels. The shifting snow drifts so realistic, so realistic - call you carpet of stars. See there is something in the yard. It's awful dark. With the painted strings, the cross, the good luck charm, the prayer, the extralayer.


E não é pra fazer sentido. You are the night, Lilah, all the possibilities are laying on your carpet of stars.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 12:41 AM



Monday, October 09, 2006

 
Você, querido leitor, que chegou aqui me stalkeando no IMB, é favor deixar comentário, ok?

You, dear reader, who got here by stalking me at IMB, please, leave a comment, ok?

Tá, se você chegou aqui por qualquer outra razão que não me ler, deixa um alô, faz o pedido na caixinha, de repente, a gente atende. Porque é nóis é diva, mas sabe das dificuldadi do cerumano comum.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 4:25 PM




 
Eu não quero conhecer a Índia. Nunca. Se ganhar a passagem, vendo e vou para a Escócia. Para a Índia, jamais.

Eu assino embaixo, em 3 vias, reconheço firma e autentico.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 1:04 PM



Sunday, October 08, 2006

 
Eu vejo um monte de pessoas fazendo coisas qeu eu queria ter feito há anos atrás e posterguei até atingir esse insustentável que está hoje. E, sei lá, parece que a resposta veio assim, do nada: eu não tinha tido coragem até hoje. (Hoje num sentido de tempo atual). Eu tinha medo (ainda tenho, na verdade, mas , como dito antes, cansei desse medo e vou enfrentá-lo) de fazer essas coisas todas, porque na verdade, eu sou uma cagona e tenho pavor de pensar que eu posso ser feliz. Assim, feliz pra valer.

E eu postergava tudo na minha vida por um sonho que eu meio que dizia ser impossível, mas que não era porra nenhuma. Nunca foi. Era só medinho, era não saber o que me aguarda, de conseguir fazer algo que me realizasse. Porque sentar e reclamar é cômodo, é fácil e é seguro. Pois que eu enchi dessa pseudo segurança, de ficar esperando que minha vida comece e que eu sinta algo além desse vazio e dessa insegurança toda.

Então eu decidi tomar as rédeas das situações e arregaçar as maguinhas pra perseguir o que eu quero. O único arrependimento é de não ter tido essa coragem anos atrás, de não ter me mexido desse jeito quando eu ainda via o mundo cheio de possibilidades. Quer dizer, não tão arrependimento porque eu vivi coisas boas (e ruins das que formam caráter) nesse tempo em que eu procrastinei a minha vida. Fiz amigos maravilhosos, me fodi, caí no chão e me levantei, fiz escolhas certas, erradas e decidi parar com o ´´e se´´ eterno.

É um novo dia, é sempre um novo começo. Mas com objetivos novos, com vontades diversas e, principalmente, perseguindo as mudanças que sempre quis e sabendo que, dessa vez, eu vou fazer acontecer.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 4:19 PM



Friday, October 06, 2006

 
A Feminista Loira e Magra sempre faz umas divisões fodas dos blogues linkados. Sempre. Eu não sei bem como eu ganhei linque lá, mas isso não importa, inmporta que eu acho um blogué foda e me sinto importante e chic e elegante de estar lá, então vocês sentem*, que lá vem blá-blá-bla.

E ela muda de template pacas, o que quer dizer que as classificações mudam e eu fico acompanhando pra ver onde eu caí. É que nem no segundo grau, você ficava lá esperando cair na turma "de sempre". Ou algo assim.

Daí que nessa última mudança eu vi meu link duas vezes. E eu fiquei assim UAU**. DUAS VEZES. Até eu me ligar de onde eu tava: Explosivos e Cruéis. Tá, os cruéis vieram indicados pela Mae que FODA e os explosivos pela Kim (que eu penso ser a Bassinger, que é gacta). Aí naquele momento de auto-análise eu realmente notei que eu sou isso.

Não é uma coisa urrú-orgulho-de-ser-malvadona-e-explosiva. É algo além, porque a minha natureza é impulsiva e eu sou uma pessoa que se vinga. Eu poderia ser super amica do Jabba, The Hutt, afinal nós dois guardamos Rancor*** e ficamos boladões se alguém quer nos libertar disso.

Mal ae galera zen, mas eu valorizo todos os sentimentos, acho que eles são importantes. Principalmente os "ruins". Porque a gente cria melhor na fossa, pode ver. E quando a gente quer se vingar, ou está possesso de ódio, pensa com mais clareza em como atingir aquele desgraçado que nos magoou. Eu, particularmente, acho que a humanidade só evoluiu graças a sentimentos "inferiores", a competição meio que estimula, sabem?

Quer dizer, quando bem canalizada. Tipo o Belo Léo, Leonar, Leonardo da Vince e da humanidade. Ele devia ser uma sujeito mágoa de caboclo total. Ah, é natureza? Você faz essas máquininhas perfeitas? Então eu vou estudar essas caralha e te superar fazendo coisas divinas, viu, mona? Daí inveções e pinturas etc e tal. O Michelangelo devia ser outro assim. competição saudável que trás desenvolvimento. Sem contar os filósofos (que vivem em guerra de ego, nota só). E toda uma renha de gente que trouxe progesso por puro despeito.

Altruísmo o cacete, o lance é conservar energia ruim, porque quando você canaliza isso e dispersa de uma maneira coolpacaraleo, melhora o mundo. Ou você, a nível de cerumano, enquanto portador de telencéfalo altamente desenvolvido e polegar opositor.****


* Tergiversando e andando: eu sei que ninguém lê blogué em pé, mas é aquilo, eu prefiro avisar logo que vai ser um post longo e cheio daquelas divagaçãs que a gente adora. A gente eu e todas as pessoas que vivem no meu cérebro.

** Porque parafrasear é legal.

*** Isso foi uma piada nerde

**** E quem não viu Ilha das Flores, né?
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 12:07 PM



Thursday, October 05, 2006

 
...Anyway, it was a very nice surprise to recieve your email...

Ah, menino, se apenas você soubesse o quanto eu queria ter te seqüestrado e brincado com seus cachos e te mimado o fim de semana todo.

Ah, menino, se você soubesse como meu coração acelerou só por ter visto o seu e-mail. E mesmo que só fossem 2 linhas eu ainda estaria com esse sorriso bobo e esse nó na garganta. Por todas as coisas que nós jamais seremos, mas que, ainda assim, não me saem da cabeça.

E, mais do que tudo, como eu queria poder colocar um "meu" antes de todas as vezes que eu me refiro a você.

Ah, menino, se apenas você soubesse...
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 10:13 AM



Wednesday, October 04, 2006

 
O que leva multidões a tirarem fotos com o celuar no espelho do banheiro? E de qualquer banheiro? É sério mesmo que o idiota entra no banheiro da cadimia e pensa: tou gostoso (a) e esse é um bom momento pra uma foto com o celulá. Urrú. E a desgraça se infla / empina a bunda e manda ver. Crente que tá abafando.

Gente, não. Foto no espelho do banheiro não é cool. Não é descolado. Não é artistico. Não é bonito. E, principalmente, você não fica bem nela. Mesmo. É que nem bigode, se você não é Magnum, vá raspar essa merda e se poupe de anos e anos de ridicularização pelas gerações futuras.
 

Greta Garbo, quem diria, foi parar no Irajá as 2:39 PM